• > Design-se

    Design digital: o que é e o que faz um profissional da área?

    Novas tendências e demandas têm surgido com o mundo virtual e uma das novas atualizações de cargo é o design digital. Você sabe o que este requisitado profissional faz e porque ele tem se tornado um diferencial? Confira! O que é design digital? O design digital é um ramo do design gráfico, onde os indivíduos produzem multimídia para visualização na tela. Suas tarefas são semelhantes às dos designers gráficos, com um conjunto de habilidades expandido no uso de ferramentas digitais. As formas de mídia que eles podem produzir incluem anúncios on-line, outdoors digitais e animação 3D ou 2D. É esperado que os profissionais desse setor sejam especializados em ferramentas padrão do setor, incluindo Adobe Photoshop, Illustrator, InDesign e linguagens de codificação como CSS, HTML e Javascript. O que faz um designer digital? Normalmente, os designers digitais trabalham em projetos de multimídia e gráficos e devem ser capazes de criar, executar e editar conceitos e layouts para esses projetos. Dependendo da carreira específica, os designers digitais podem trabalhar em projetos que variam desde o desenvolvimento de folhetos e brochuras para campanhas publicitárias até o trabalho em animações 2D ou 3D para uma produção de vídeo. Eles podem desenvolver sites para empresas ou criar videogames para os consumidores. O trabalho deles também pode envolver reuniões e discussões com os clientes sobre o escopo de um determinado projeto, além de implementar as alterações desejadas durante a vida útil do projeto e revisar os erros antes da publicação. Habilidades necessárias Imaginação e criatividade são as melhores habilidades de design necessárias para desenvolver e criar qualquer design. Além disso, julgamento, observações e pensamento analítico também são necessários para criar bons conceitos. Um designer usa imagens, textos, ilustrações, ideias criativas, designs de interface, técnicas de layout de página e métodos de impressão para criar um design adequado. Por que devemos usar o design digital? Para tornar nosso trabalho mais fácil e direto, o design digital se tornou parte de nossas vidas diárias. Onde quer que vamos, vemos o uso de designs e apresentações digitais. Hoje, o design digital e gráfico é apresentado até em escolas e instituições de ensino fundamental. Isso prova apenas que há uma enorme demanda nas indústrias e no mercado pelo uso de projetos digitais. Interessados em se especializar como Designer Digital? Confira nosso curso de formação na área! ;)
  • > Tá na Moda

    Digitalização na moda: como a indústria está mudando?

    A indústria da moda, entre varejistas e marcas de luxo exclusivas, impulsiona uma parte significativa da economia global. A moda é um dos campos mais desafiadores, altamente impactado pela incerteza econômica global, além de tendências distintas e mudanças industriais. Em resposta à pressão por crescimento e eficiência de custos, muitas marcas iniciaram uma série de iniciativas para melhorar sua velocidade no mercado e implementar inovação sustentável em seus principais processos de design de produto, fabricação e cadeia de suprimentos. Um desafio fundamental para muitas marcas de moda é que, cada vez mais, elas ficam atrás das expectativas dos consumidores. O papel do consumidor passou de observância passiva para participação dominante. Eles não estão mais satisfeitos em simplesmente comprar produtos de moda; o crescimento exponencial no uso de tecnologias digitais os capacitou. Eles querem interagir, pertencer, influenciar e ser as marcas das quais compram. Informados, seletivos e responsáveis, os consumidores se preocupam com a aparência das mídias públicas e sociais e com a percepção dos bens que compram e possuem. A grande maioria dos consumidores utiliza canais digitais antes, durante ou depois de fazer suas compras. Isso significa que se tornar uma marca com experiência digital não pode mais ser considerada um negócio separado. Em vez disso, será cada vez mais fundamental para as organizações e para todo o relacionamento marca-consumidor. Novos padrões de serviço e experiência estão sendo definidos, e trata-se principalmente de deixar de ser uma marca de produto para se tornar uma que molda e implementa proposições contextualizadas e centradas no consumidor - uma marca que considera toda a experiência do ecossistema. As empresas herdadas com sistemas e processos analógicos são julgadas por esses novos padrões e se vêem obsoletas e desatualizadas em comparação. Mas muitas marcas ainda estão se perguntando como diminuir o fosso digital. Dado o que está em jogo - a herança e a identidade da marca - é um caminho muito delicado a ser trilhado. Qualquer manifestação digital da marca - de plataformas sociais a distribuidores de terceiros - precisa acompanhar os valores redefinidos da marca e deve ser adaptada às necessidades do consumidor. Uma oferta digital genérica ou desalinhada pode realmente aumentar o fosso digital e até representar uma ameaça à marca e à reputação. Clienteling: como o digital pode ajudar É a convergência de canais digitais e tradicionais, juntamente com o aumento do poder do consumidor, que levará a uma demanda crescente por experiências coesas de marca. O valor das informações e análises, portanto, aumentará. Imagine saber o que cada consumidor vai comprar enquanto entra na loja. Imagine saber como ativar os consumidores exatamente no momento certo e ter a possibilidade de cultivar relacionamentos com cada consumidor individualmente - de maneira distinta e personalizada. Esse pode ser o sonho impossível, mas os avanços no atendimento ao cliente - estabelecendo relacionamentos de longo prazo com os clientes com base em seus hábitos - estão aproximando o sonho. O atendimento ao cliente pode não ser novidade para as marcas de moda - os vendedores podem reconhecer os principais clientes à vista. No entanto, a ascensão do cliente global, operando em diferentes regiões geográficas e em vários canais, torna mais difícil para as marcas entenderem completamente sua base de consumidores. A clientela digital (incluindo processos de ponta, análises, desenvolvimentos tecnológicos nas plataformas de Marketing Digital, Comércio e Vendas e Serviços) está oferecendo uma experiência personalizada ao cliente em vários canais - e, finalmente, melhorando as taxas de conversão e as receitas. Há mais informações disponíveis do que nunca sobre hábitos, comportamentos, tendências e fatores de consumo das pessoas. No entanto, o investimento em Big Data e análise é desperdiçado se os tomadores de decisão receberem informações erradas ou não tiverem as habilidades ou competências para converter ideias sólidas em decisões de negócios. Desbloquear essas informações é essencial para entender qual é a mentalidade do consumidor agora e é provável que esteja em um futuro próximo. Impulsionadas pela convergência de Big Data, Internet das Coisas e ciência de dados, as marcas de moda poderão entender melhor seus clientes, responder às tendências do mercado e adaptar suas informações e produtos de vendas. E aí, prontos para embarcar nos benefícios da digitalização da moda? ;)
  • > Marketing Digital

    Youtube e Marketing Digital: como otimizar essa parceria?

    O crescimento do YouTube ao longo da última década foi bastante impressionante. Ele tem crescido constantemente desde o seu lançamento em 2005 e é o maior e mais visitado serviço de vídeo online. E é por tudo isso que muitos especialistas em marketing digital estão tentando desesperadamente aumentar a exposição e aumentar as vendas usando a plataforma. O YouTube pode ser o site de vídeo mais importante da Internet, e o conteúdo baseado em vídeo pode afetar muito o marketing digital, mas também é difícil se destacar da multidão. Por isso reunimos quatro dicas simples de otimização do YouTube para profissionais de marketing digital que desejam subir no ranking de pesquisas, aumentar ações e obter mais capital social. Veja! :) 1. Preste atenção ao tamanho do título do vídeo Assim como nas postagens do blog, as palavras-chave são importantes quando se trata de títulos de vídeos, pois elas ajudam com suas classificações de pesquisa. Certifique-se de usar algo atraente tanto para os espectadores quanto para os robôs de pesquisa. Mais uma coisa a considerar é qual parte do título fica visível quando as pessoas pesquisam no YouTube ou em outros mecanismos de pesquisa que incluem resultados do serviço de compartilhamento de vídeo. Você foi capaz de chegar ao ponto com rapidez suficiente? A miniatura corresponde ao título? Aqui estão três coisas a considerar ao criar um título para o seu vídeo, o que pode facilitar as coisas: 1) Sempre inclua nomes e personagens importantes, como a marca em destaque, o assunto do vídeo ou evento que você está promovendo; 2) Não se esqueça de mencionar qualquer local relevante para o vídeo, especialmente se você estiver segmentando uma área específica; 3) Por fim, insira a palavra-chave mais importante que você deseja que o vídeo apareça em pesquisas. 2. Escreva descrições de vídeo mais longas Pode parecer contra-intuitivo, mas os usuários da plataforma podem ver uma descrição longa do vídeo como útil. As descrições de vídeo e canal podem, portanto, ser um recurso valioso para gerar tráfego para o seu conteúdo. O YouTube permite até 5.000 caracteres para descrições, o que equivale a cerca de 500 a 700 palavras. Além disso, quanto mais conteúdo original você fornecer, como o que você escreve abaixo de um vídeo no campo de descrição, é mais fácil para os mecanismos de pesquisa entenderem do que se trata o vídeo e para quais consultas de pesquisa classificar. Mas lembre-se: use mais caracteres se achar necessário, mas é melhor não preencher a caixa de texto inteira com conteúdo inútil. Outra coisa a ser aconselhada em relação às descrições de vídeo é fazer com que os primeiros 150 caracteres sejam contados. De tudo o que você escreve, esses caracteres são mais importantes porque é onde o YouTube corta a descrição e insere um botão 'Mostrar mais'. Nesse momento, o espectador precisa clicar nele para optar por ler o restante. Muitos espectadores não estão dispostos a investir tanto trabalho para terminar a descrição inteira. Por fim, as descrições também são um ótimo espaço para vincular a quaisquer canais afiliados, sites e suas contas de mídia social. Ajuda a apresentá-los com uma chamada à ação, como curtir, assinar e aprender mais. 3. Use miniaturas de alta resolução Hoje em dia, todo mundo usa uma miniatura personalizada de alta resolução ao compartilhar vídeos. Muitos deles seguem um certo padrão. Eles são brilhantes, destacam um momento bobo ou colocam algo intrigante neles. Alguns usuários ainda os usam para escrever um segundo e muito mais breve título. Mais uma coisa a ter em mente é que você deve empregar um formato padrão com todas as suas miniaturas em todas as plataformas. Se você colocar o rosto ou o logotipo da empresa em uma miniatura, coloque-o em cada uma. É importante que seus vídeos sejam instantaneamente reconhecíveis para quem segue sua marca ou canal. Dessa forma, se eles virem seu rosto ou logotipo na barra lateral dos vídeos sugeridos ou nos resultados de pesquisa, estarão mais inclinados a clicar nele. Se você tiver vídeos antigos, recomendamos voltar e enviar novas miniaturas para todos, para que todos os vídeos do seu canal correspondam. É uma maneira simples de obter melhores resultados. Além disso, caso não seja óbvio, verifique se as miniaturas são legíveis e fáceis de reconhecer. Eles são chamados de miniaturas por um motivo - são pequenos em tamanho. Os espectadores podem ter apenas um momento para processar o conteúdo do seu vídeo com base em uma imagem minúscula na coluna da direita ou em um dispositivo móvel. 4. Utilize listas de reprodução As listas de reprodução no YouTube podem ser incrivelmente úteis para aumentar as visualizações. Você pode agrupar alguns vídeos em seu canal com base no tipo ou assunto, o que pode facilitar para seus seguidores acessar os vídeos que desejam em um só lugar. Isso é especialmente bom se você criou uma série de vídeos. Mas há mais motivos para usar listas de reprodução. A pesquisa do YouTube tende a mostrar listas de reprodução no topo de suas páginas de resultados. Ele também permite que os usuários pesquisem especificamente listas de reprodução. Se você criar um pacote de vídeos sobre um assunto em que o espectador tem interesse específico, eles também poderão acessar a lista de reprodução com apenas um clique e assistir a todos em uma única sessão. Isso pode aumentar drasticamente sua taxa de engajamento, que é um fator crucial quando se trata de classificações de pesquisa do YouTube. As listas de reprodução do YouTube também ajudam a aumentar suas chances de aumentar as classificações de pesquisa de conteúdo com uma variedade maior de frases-chave. Aproveite isso e coloque mais palavras-chave nos títulos da sua playlist. Prontos para se otimizar a parceria entre Youtube e marketing digital? ;)
  • > Marketing Digital

    Marketing de Conteúdo: benefícios oferecidos pela prática

    Sabe-se que o marketing de conteúdo é umas das ferramentas essenciais para sobreviver na internet nos dias atuais. Enumeramos alguns dos benefícios do marketing de conteúdo. Confira! • Benefício de marketing de conteúdo nº 1: maior afinidade com a marca Um dos bônus mais benéficos oferecidos pelo marketing de conteúdo é o aumento da afinidade da marca, na qual os consumidores se sentem apaixonados e compartilham os valores de uma empresa ou marca. A afinidade com a marca é o Santo Graal para os profissionais de marketing. Indivíduos com alta afinidade com a marca não se interessam apenas por seus produtos ou serviços - eles são importantes para você como uma marca. Eles adoram o que você vende, frequentemente dizem a seus amigos e familiares como você é ótimo e garantem seus produtos sem qualquer estímulo ou coerção. Em resumo, os clientes com alta afinidade com a marca são seus super fãs e, sem dúvida, são seus clientes mais valiosos. E quando se trata de clientes em potencial, aqueles que sentem uma afinidade com a sua marca terão muito mais chances de se tornar um cliente se já tiverem aprendido sobre você por meio do seu conteúdo. Como o Marketing de conteúdo ajuda a afinidade com a marca? A reputação desempenha um papel importante no desenvolvimento e na sustentação da afinidade da marca. Não basta apenas fabricar ou vender produtos ou serviços de alta qualidade. Você precisa se tornar uma voz confiável em seu setor - e uma das melhores maneiras de fazer isso é produzindo conteúdo de alta qualidade. Valores compartilhados são fundamentais para a ideia de afinidade da marca. O conteúdo não apenas ajuda a direcionar o tráfego para o seu site, mas também oferece a oportunidade de demonstrar quais são seus valores como organização. Como posso desenvolver uma maior afinidade da marca por meio do marketing de conteúdo? Independentemente do tipo de conteúdo que você publica, é crucial que você desenvolva uma voz única. A razão pela qual tanto conteúdo na Web é branda e instantaneamente esquecível é que muitos sites têm medo de se posicionar sobre um problema ou de apresentar um ponto de vista específico. • Benefício conteúdo de marketing nº 2: maiores audiências de remarketing Em um mundo perfeito, as pessoas navegando na web iria se deparar com o seu conteúdo organicamente graças a seus esforços de SEO meticuloso. Infelizmente, isso não é bem como o conteúdo de marketing funciona. Felizmente, um dos benefícios mais taticamente vantajosos do marketing de conteúdo é que ele permite criar públicos-alvo de remarketing altamente refinados com base no tráfego do site, uma técnica supereficaz para aumentar suas taxas de conversão. Como o Marketing de conteúdo ajuda a criar públicos-alvo de remarketing? Uma das melhores coisas sobre o remarketing é que você pode criar segmentos de público-alvo personalizados com base em praticamente todos os critérios importantes para você. No que diz respeito ao conteúdo, os significantes comportamentais podem ser extraordinariamente valiosos, especialmente se você estiver segmentando seu banco de dados por intenção ou estágio de funil de conversão. • Benefício de marketing de conteúdo nº 3: direcionando tráfego através da pesquisa de imagens Qual é uma das técnicas mais eficazes, mas cronicamente subutilizadas, para direcionar mais tráfego? Pesquisa de imagem. A publicação de conteúdo de qualidade oferece consistentemente incríveis oportunidades de otimização que os sites estáticos não podem, incluindo a otimização de imagens. A pesquisa de imagens está se tornando cada vez mais popular (e precisa), com mais de 11% das pesquisas no Google. Mas muitos sites tratam as imagens como uma reflexão tardia. Isso oferece ao profissional de marketing de conteúdo uma oportunidade incrível de alavancar a pesquisa de imagens para obter maior visibilidade. • Benefício de Marketing de Conteúdo nº 4: Alimentando seu volante social Nosso quarto e último benefício de marketing de conteúdo se concentra nas mídias sociais - especificamente, como a publicação regular de conteúdo pode ajudá-lo a criar o que às vezes é chamado de "efeito volante", que pode ajudá-lo consistentemente a aumentar seu público, estabelecer maior credibilidade em seu setor, e fornecer a você mais oportunidades de conversão. Como o marketing de conteúdo pode me ajudar a aumentar minha audiência social? O marketing de conteúdo e as mídias sociais andam juntos. Publique conteúdo no seu site, use as mídias sociais para promovê-lo, aumente seu público, e repita. Como uso as mídias sociais para promover meu conteúdo? A primeira coisa que você precisa aceitar é que a construção de uma sequência de mídia social leva muito tempo e é realmente uma merda. Não há apenas duas maneiras. Escrever e publicar consistentemente o melhor conteúdo possível por meses ou anos sem nenhum movimento real pode ser amargamente desanimador. No entanto, como acontece com tantas coisas na vida, é tudo sobre percepção. Em vez de lamentar todo o tempo, esforço e dinheiro que você está "desperdiçando" no blog, acha que ninguém está lendo e sua conta no Twitter com 200 seguidores, pense nisso como a energia inicial necessária para girar o volante. Eventualmente, o momento aumentará e você começará a experimentar o tipo de tráfego e crescimento que deseja - apenas leva tempo e perseverança. Em resumo: um ótimo conteúdo fornece itens para você postar em seus feeds sociais, o que mostra que seus feeds sociais têm valor e podem ajudá-lo a aumentar esses seguidores sociais. Então, quando você publicar um conteúdo ainda maior, terá mais seguidores para expô-lo. Prontos para aproveitar todas as vantagens do marketing de conteúdo? ;)
  • > Marketing Digital

    Erros comuns do marketing digital e como evitá-los

    Qual é a eficácia da sua estratégia de marketing digital? Em uma era de tecnologia em constante evolução, podemos concordar que seus esforços de marketing digital são vitais para alcançar e envolver o consumidor de hoje. Veja bem, as pessoas desejam interagir com as marcas em suas plataformas sociais favoritas, encontrá-las na pesquisa e permanecer informadas por e-mail, para dizer o mínimo. Portanto, a estratégia digital deve ser eficaz para aparecer quando seus clientes estiverem procurando por você e mantê-los conectados ao seu negócio. No entanto, existem erros comuns de marketing digital que muitas empresas estão cometendo que os impedem de obter sucesso no marketing digital. Parece que eles estão realizando toda a atividade de marketing digital correta, porém não estão gerando os resultados desejados em geração de tráfego, conversões de leads e vendas. Nesse caso, veja alguns dos maiores erros de marketing digital e como sua empresa pode evitá-los e corrigi-los hoje. 1. Não conhecer seus reais objetivos Você precisa saber o que deseja para saber o que fazer. Frequentemente ouvimos coisas como "preciso estar em todos os canais de mídia social", mas quando perguntamos "por quê?" As pessoas nem sempre têm uma resposta. E quando o fazem, a resposta é mais ou menos como "porque todo mundo está fazendo isso" ou "é isso que sempre fizemos". Embora você definitivamente queira saber o que seus concorrentes estão fazendo, tentar estar em todos os lugares não ajudará ninguém. O uso mais eficaz do marketing é primeiro definir seus objetivos e, em seguida, escolher as táticas específicas de marketing que ajudarão você a alcançá-los - e não o contrário. 2. Não conhecer seu público-alvo Fazer suposições sobre quem estará interessado em seu produto ou serviço pode ser um erro caro e também bastante comum. Com o mundo das mídias sociais e todas as análises gratuitas disponíveis para você, não há realmente desculpa para não saber quem são seus alvos, onde eles estão e o que estão procurando. Seu desempenho geral de marketing será amplamente baseado em conhecer e se envolver profundamente com seu público-alvo e fornecer o conteúdo que os fará querer se envolver com você. Quanto mais você se aprofunda na análise correta, mais fácil fica para restringir seu foco e gastar mais tempo e dinheiro em anúncios e conteúdo que serão vistos pelas pessoas certas na hora certa. 3. Não dar tempo suficiente às estratégias de marketing para produzir resultados Às vezes, os empresários assumem que, como a tecnologia digital evolui tão rapidamente, o marketing digital visa gerar resultados quase que imediatamente. E quando não vêem resultados rápidos ou imediatos, ficam assustados e se afastam. Estamos acostumados a que as coisas aconteçam mais rapidamente do que antes, devido ao acesso mais fácil que temos - mas isso se baseia apenas parcialmente. Enquanto o mundo digital se move rapidamente, o público-alvo é humano e as pessoas levam tempo para se tornarem realmente engajadas. Por causa dos algoritmos (e de suas constantes alterações), lembre-se de que o público pode nem estar vendo seu conteúdo quando você começa a publicá-lo. Consistência é a chave para o marketing bem-sucedido. Geralmente, são necessários vários pontos de exposição antes que um cliente em potencial se envolva com conteúdo ou anúncios relevantes. 4. Não entender seus dados Há tantos dados disponíveis para você que você pode facilmente cair em uma toca de coelho olhando números e estatísticas por horas e até dias. Mas você está olhando para os dados corretos? E se você é, sabe o que fazer com isso? O primeiro passo é descobrir quais dados são relevantes. Isso deve ser determinado por seus objetivos, que você pode transformar em KPIs. Depois de medir os dados corretos, é muito mais fácil ver o que está funcionando e o que não está. Não há uma resposta universal para quais são os dados certos a serem monitorados, pois variarão para cada empresa. No entanto, acredito que todos possam se beneficiar colocando o Google Analytics para trabalhar no seu site. Ele fornecerá informações detalhadas sobre o seu tráfego na web. Obviamente, os dados mais perfeitos e refinados do mundo não ajudarão se você não tiver uma estratégia de marketing ágil. Você precisará estar disposto a parar e girar a qualquer momento, se encontrar algo que não está funcionando. Estes são apenas alguns dos erros comuns de marketing que vemos pop-up várias vezes. A mensagem principal aqui é que seus esforços de divulgação precisam se alinhar com seus objetivos mais amplos - embora possa ser tentador pular para as mais recentes novas plataformas e ferramentas, você precisa manter o foco no público e chegar às plataformas relevantes para eles. Você faz isso realizando pesquisas, analisando seus dados e entendendo seu foco. Prontos para (re)avaliar como a sua empresa está empregando o marketing digital? ;)
  • > Empreendedorismo

    5 livros sobre economia criativa para se inspirar!

    Sempre é bom acompanhar as novas demandas do mercado e, consequentemente, as mudanças globais. E para comemorar também o Dia Nacional do Livro, selecionamos alguns títulos importantes para inspirar os amantes da economia criativa. Veja nossa sugestões! :) 1. Economia Criativa: Como Ganhar Dinheiro com Ideias Criativas - John Howkins Nome de destaque quanto ao assunto, o especialista em economia criativa, John Howkins, relata sobre o que realmente é criatividade e fornece dados concretos sobre sua representatividade na economia mundial. A criatividade é o negócio que mais cresce no mundo. As empresas têm fome de pessoas com ideias - e cada vez mais pessoas desejam criar, comprar, vender e compartilhar produtos criativos. E neste livro o autor mostra como transformar criatividade em dinheiro e como ela se sobressai na era digital. Suas principais regras para o sucesso incluem: Invente você mesmo. Seja único. Possua suas ideias. Entenda os direitos autorais, patentes e leis de propriedade intelectual. Trate o virtual como real e vice-versa. E, principalmente, saiba quando quebrar as regras. 2. A Ascensão da Classe Criativa - Richard Florida Neste livro, o urbanista Richard Florida identifica o surgimento de uma nova classe social que está remodelando a economia, a geografia e o local de trabalho do século XXI. Esta classe criativa é composta por profissionais de diversas áreas que são responsáveis por novas formas de criação. E, de acordo com o autor, essa classe criativa determina como os locais de trabalho são organizados, quais empresas prosperam ou vão à falência e quais cidades prosperam. Com tabelas atualizadas e um prefácio escrito especialmente para a edição brasileira, Florida aponta para o futuro das cidades e destaca o papel decisivo da classe criativa para o sucesso do desenvolvimento global. 3. Economia Criativa: Fonte de Novos Empregos - Victor Mirshawka Esta coleção de livros sobre diversos setores da economia criativa traz um panorama sobre a influência da tecnologia no mercado profissional. A ideia do autor é trazer uma reflexão sobre novos empregos e como as pessoas podem se adaptar aos novos rumos da economia global. A cada livro da coleção, Mirshawka traz à tona um tópico específico que interfere ou se adapta às novas demandas mundiais. 4. Empreendedorismo para subversivos - Facundo Guerra O autor conta neste livro sua trajetória profissional até decidir largar tudo para abrir um negócio próprio. Ele conta a história de cada um desses negócios, revelando os acertos e os erros. E oferece um guia com dicas fundamentais para quem sonha em ter o seu próprio negócio. Uma inspiração de criatividade e empreendedorismo dentro do cenário brasileiro. 5. O Caminho do Artista - Julia Cameron O livro de Julia Cameron já foi citado na nossa lista de inspirações criativas, mas vale a pena indicá-lo mais uma vez. Escrito em um formato de curso, o livro é um guia através de vários exercícios durante um período que ajudará você a liberar seu criativo interior. Se você está tendo dificuldades com o bloqueio de escritores, essa é definitivamente uma leitura que vale a pena. E vale lembrar que este livro requer participação ativa. Vamos comemorar o Dia Nacional do Livro e buscar na leitura ótimas inspirações? ;)
  • > Design-se

    UX Design: qual a importância deste conceito para um negócio?

    Crescente no mercado de trabalho e pauta de novas experiências profissionais, o UX Design é um termo e uma profissão cada vez mais presente no cenário mundial. Mas, afinal de contas, o que é e o que faz o UX Design? Para entendê-lo é necessário compreender primeiro o que é, na verdade, a experiência do usuário e como ela se encaixa no novo setor. Experiência do usuário ou User Experience (UX), em inglês, é o conjunto de elementos relacionados à interação do usuário com um determinado produto, sistema ou serviço que resulte em uma percepção positiva ou negativa desta vivência. Desta forma, o design da experiência do usuário é um conceito que tem muitas dimensões e inclui várias disciplinas - como design de interação, arquitetura da informação, design visual, usabilidade, e interação humano-computador. O objetivo do UX Design nos negócios é "melhorar a satisfação e a lealdade do cliente por meio da utilidade, facilidade de uso e prazer proporcionados na interação com um produto". Em outras palavras, o UX Design é o processo de design de produtos (digitais ou físicos) que são úteis, fáceis de usar e agradáveis ​​para interagir. Trata-se de aprimorar a experiência que as pessoas têm ao interagir com seu produto e garantir que elas encontrem valor no que você está fornecendo. Neste contexto, vale a pena ressaltar a diferença também entre UX e UI (User Interface Design ou Design de Interface do Usuário, em português), já que as siglas são parecidas. Porém, por mais que os nomes sejam similares, suas abordagens são bem diferentes. Enquanto o UX está relacionado com a experiência do usuário e com seus sentimentos, o UI trata-se da maneira como o usuário alcançará essa experiência. O que os designers de UX fazem vai além do design de interface do usuário O User Experience Design é frequentemente usado de forma intercambiável com termos como "User Interface Design" e "Usabilidade". No entanto, embora a usabilidade e o design da interface do usuário sejam aspectos importantes do design do UX, eles são subconjuntos - o design do UX também abrange uma vasta gama de outras áreas. Um designer de UX está preocupado com todo o processo de aquisição e integração de um produto, incluindo aspectos de marca, design, usabilidade e função. É uma história que começa antes que o dispositivo esteja nas mãos do usuário. Os designers de UX consideram o "porquê", "o que" e "como" usar o produto Como designer de UX, você deve considerar o "porquê", o "quê" e "como" é o uso do produto. O “Porquê” envolve as motivações dos usuários para adotar um produto, estejam eles relacionados a uma tarefa que desejam executar com ele ou a valores e visualizações que os usuários associam à propriedade e ao uso do produto. O “quê” aborda o que as pessoas podem fazer com um produto - sua funcionalidade. Finalmente, o “Como” se relaciona ao design da funcionalidade de uma maneira acessível e esteticamente agradável. Os designers de UX começam com o "porquê" antes de determinar o "quê" e, finalmente, o "como", a fim de criar produtos com os quais os usuários podem formar experiências significativas. Prontos para aplicar o UX Design no seu negócio? ;)
  • > Marketing Digital

    Lean Analytics: uma forma de otimizar o seu empreendimento

    O crescimento de novos empreendimentos e startups trouxe também novos métodos e ideias e um deles é o Lean Analytics. Os autores Alistair Croll e Ben Yoskovitz, do livro “Lean Analytics: Use Data to Build a Better Startup Faster”, definem o Lean Analytics como um método excelente e inovador para otimizar o funil de vendas. E por quê? Simplesmente porque ele ajuda a estruturar o progresso e identificar as partes mais arriscadas de um negócio. O que leva ao aprendizado rápido sobre elas e novas formas de adaptação. A ideia principal por trás dessa abordagem é a seguinte: conhecendo o tipo de negócio e o estágio em que está inserido, o gestor pode acompanhar e otimizar as métricas mais importantes que são importantes para o negócio no momento. Ou seja, ele é usado para medir o progresso, ajudando a empresa a fazer as perguntas mais importantes e a obter respostas claras rapidamente - um eficaz monitoramento da gestão empresarial. O intuito de usar o Lean Analytics como parâmetro é capacitar o gestor para acompanhar um indicador específico, que resume e representa melhor os objetivos atuais do negócio. Com isso, o responsável por gerir a empresa pode ter uma visão mais aprofundada e pontual sobre a atual estratégia e sua repercussão. Além disso, o ideal é que cada setor eleja um indicador principal próprio, que esteja de acordo com toda a empresa. Desta forma, de acordo com a premissa do Lean Analytics, é importante que todos os setores internos de uma empresa se concentrem em escolher uma métrica que ajude a conquistar seu objetivo. O marketing, por exemplo, pode escolher monitorar a taxa de conversão do site em compras. Vale lembrar que o uso do Lean Analytics não quer dizer excluir todas as outras estratégias e ignorar outros indicadores. E sim ter foco particular em um deles. Se você tem interesse e gostaria de se aprofundar no assunto, esse tema também é abordado em um dos módulos do nosso curso de formação profissionalizante Analista de Marketing Digital. #BoraEstudar! ;)
  • > Marketing Digital

    Storytelling: inspirações de cases para a sua marca!

    Técnica narrativa bastante utilizada pelas marcas no momento, o storytelling é uma prática que tem como intuito contar uma história em uma jornada única. Tudo a fim de estabelecer uma conexão emocional de determinada mensagem para o público-alvo. O conceito é oferecer ao cliente a ideia de que ele passará por uma transformação ao consumir o produto ou serviço. Uma vez que o que ele oferece é uma manifestação de valores que correspondam com o público. Ou seja, a empresa gera empatia pelas necessidades do seu consumidor. A marca deve ter em mente que o uso do storytelling é proporcionar ajuda ao cliente - ele deve enxergar e recorrer à marca como uma forma de suprir uma carência que só a marca pode atender, impactando a sua vida. Lembre-se de que o storytelling deve corresponder à reputação da marca; É um apelo emocional de identificação, mas que deve condizer com os valores e missão da empresa para o seu cliente, pois é o que interfere na decisão e gera confiança e, posteriormente, fidelidade. Além disso, é sempre muito importante tomar cuidado para a marca não parecer oportunista. Em diversos casos, há marcas e empresas que aproveitam algum acontecimento marcante atual para se promover. O posicionamento é importante, mas não quando ele vem em forma de oportunismo. Isso na verdade apenas liga a imagem da marca como algo negativo. E para estruturar essa prática de comunicação, é preciso mergulhar nas técnicas de narrativa e a estrutura do conteúdo, que levarão a estratégia final: o marketing digital. Cases de sucesso • Madero O restaurante que tem sua obra-prima o hambúrguer aposta sempre em suas propagandas não focar apenas na comida e sim em como sua produção muda todos ao seu redor, seja funcionários ou consumidores. Em um dos últimos comerciais feitos, dentro da narrativa “o hambúrguer do Madero faz o mundo melhor” conta as histórias dos seus funcionários jovens em treinamento e como a oportunidade de trabalho nas fábricas das matérias primas e em seus restaurantes trazem esperança para os empregados e suas famílias. É a criação de expectativa profissional e de vida que o restaurante Madero diz oferecer. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=XibSm-vWGRE&list=PLAyWptggi1HL0WNMxoV3Oml9PL4golYED[/embed] • Always Além da marcante campanha de 2014, intitulada #likeagirl, as mais recentes propagandas da Always ainda apostam na narrativa que representa o sentimento de muitas mulheres: desmistificar a frase “você está agindo como uma menina” como algo pejorativo. Com isso, a marca aposta em mostrar a força da mulher e como elas são capazes de realizar suas atividades além do preconceito ou fluxo menstrual. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=XjJQBjWYDTs[/embed] • Dove A marca Dove apostou em um storytelling emocionante na campanha Real Beleza: convidar diversas mulheres para serem desenhadas por duas perspectivas. Uma delas as próprias mulheres se descrevem e apostam para um desenhista como elas se enxergam. Depois, uma mulher descrevia como enxergava a outra na dinâmica. A ideia é mostrar como o olhar sobre si é bem diferente e ajudar a elevar a autoestima das mulheres. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=Il0nz0LHbcM[/embed] • Airbnb Apostando em autenticidade nas histórias, o Airbnb convidou usuários reais a compartilhar sua experiências e como o uso da plataforma proporcionou uma viagem única - o que é toda a ideia do storytelling. Em pequenos documentários, tanto viajantes quanto proprietários falam da sua vivência e como as experiências foram capazes de mudar suas vidas. O que faz os espectadores rapidamente se conectarem com os usuários e a associar o Airbnb como forma de proporcionar novas e afetivas viagens. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=nTQiA5CTOOc[/embed] • O Boticário A marca tem escolhido o viés de focar cada vez mais em pessoas e suas pluralidades. Para isso, O Boticário aproveita as campanhas de datas comemorativas, como o Dia dos Namorados e Natal para abraçar causas em pauta, como a diversidade de gênero e o conceito de família. [embed]https://www.youtube.com/watch?v=U60mFjqsTLw&list=PLA95B059599E703C3&index=9&t=0s[/embed] Bora se inspirar e desenvolver um excelente storytelling? No nosso canal no Youtube a Profª Laura Vianna fala também sobre o assunto. Confira!
  • > Marketing Digital

    A arte e os benefícios do Newsjacking no marketing

    Uma das estratégias mais recentes do marketing digital nos últimos anos é o Newsjacking. Mas a maioria das pessoas provavelmente não está familiarizada com o termo. Hoje, inúmeras marcas estão dispostas a investir nessa ideia para aumentar o reconhecimento da marca e atrair novos clientes. Entenda como o Newsjacking funciona e como isso pode ajudá-lo a melhorar sua estratégia de conteúdo. O que é o Newsjacking? Newsjacking é um conceito cunhado por David Meerman Scott em seu livro com o mesmo nome. Nas palavras dele, "Newsjacking é a arte e a ciência de injetar suas ideias em uma notícia de última hora para que você e suas ideias sejam notadas". Mas, de forma mais simples, significa pegar em algo popular e muito comentado e usá-lo para atrair mais atenção para você ou sua empresa. Como, por exemplo, algumas marcas embarcaram no onda do Pokémon Go ou com Star Wars. Alinhar-se com tópicos de tendências pode ser extremamente benéfico para a sua marca na conscientização e no direcionamento de tráfego por meio do SEO, mas apenas se você fizer o conteúdo de forma correta e consciente. Os conceitos subjacentes a esta estratégia são: - As notícias estão surgindo a cada segundo; - A vida de uma notícia acaba rapidamente; - Há um momento em que os profissionais de marketing têm a oportunidade de aumentar a popularidade e injetar sua mensagem de marketing de alguma forma antes que a história perca sua ação. E para aproveitar, o marketing deve: - Cativar o usuário com a história/atenção; - Produzir conteúdo relevante; - Pensar na viralização. Como o Newsjacking pode ajudar no SEO? Quando uma história começa a tendência, o tráfego de pesquisa por palavras-chave relacionadas a essa história tende a explodir. O Google apresenta artigos sobre essa história na parte superior dos resultados de pesquisa e as histórias são destacadas pelos principais tópicos do Twitter. Embora exista uma concorrência acirrada por esse tráfego, se você chegar cedo o suficiente, receberá links de outros pontos de venda que usam seu artigo como referência. Assim, o newsjacking pode fornecer benefícios de SEO de curto e longo prazo. A primeira coisa que você precisa fazer é encontrar notícias certas. Sempre haverá oportunidades, mas você precisa identificá-las com rapidez suficiente para surfar na onda. Há atitudes simples para praticar o newsjacking e aproveitar o momento certo. Como rastrear notícias relevantes: - Use o Google Trends para monitorar histórias populares e os Alertas do Google para monitorar palavras-chave. - Siga jornalistas e blogs que cobrem histórias relevantes para o seu setor. - Fique de olho nas hashtags mais populares do Twitter. Lista de Tarefas do Newsjacking: - Publique uma postagem de blog com sua opinião sobre a história; - Envie um tweet usando a hashtag estabelecida; - Entre em contato diretamente com jornalistas que possam estar interessados ​​no tema. E aí, prontos para embarcar na tendência do Newsjacking? ;)